• denuncias
  • peticionamento
  • protocolo
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • lgpd
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Institucional
  • Procurador do trabalho Rafael Mondego trata da operação de combate ao trabalho escravo no interior do Maranhão em entrevista à TV Cidade
  • Planto 2024
  • seletivo Estgio 2024 banner
  • nota ptm copiar 2-1 1
  • Minha publicação
  • Banner Denúncia
  • AREAFIM
  • PROTOCOLO ADMINISTRATIVO
  • MPT-MA publica escala de plantão de 2024
  • Acompanhe informações do Seletivo de Estágio 2024
  • Acesse o edital para efetuar o cadastro da entidade ou instituição.
  • Saiba como fazer sua denúncia ao MPT-MA
  • Petições jurídicas devem ser feitas no sistema próprio. Acesse aqui.
  • Clique na imagem para fazer o cadastro. É rápido e fácil.

Procurador do trabalho Rafael Mondego trata da operação de combate ao trabalho escravo no interior do Maranhão em entrevista à TV Cidade

Na última quarta-feira (3/7), o procurador do Trabalho Rafael Mondego concedeu entrevista à TV Cidade para relatar detalhes da operação conjunta de combate ao trabalho escravo entre o Ministério Público do Trabalho (MPT-MA), Ministério do Trabalho e Emprego e Polícia Federal de Caxias/MA no município de São Raimundo das Mangabeiras (MA), realizada entre os dias 17 e 26 de junho.

Na entrevista à repórter Nicolly Jansen, o Procurador Rafael Mondego contou como aconteceu a operação: “Fizemos especificamente quatro incursões e em uma delas, infelizmente, nós encontramos trabalhadores explorados em condições semelhantes à escravidão. Essas doze pessoas estavam em situações degradantes, ou seja, não havia cumprimento das normas básicas de saúde e segurança do trabalho, o alojamento era extremamente precário. Considerando esse conjunto de descumprimento de normas trabalhistas tivemos que fazer o resgate desses trabalhadores”. Esclareceu o procurador.

Durante a operação foram fiscalizadas diversas fazendas, motivadas após denúncias da existência de trabalhadores em condições semelhantes à de escravo. O procurador ressaltou, ainda, que o meio rural são os locais onde os casos de trabalho análogo à escravidão são mais recorrentes no estado do Maranhão e há uma constatação, no Brasil inteiro, de aumento denúncias de trabalho escravo doméstico. No Maranhão, em 2024, já foram resgatadas 25 pessoas, 6 trabalhadores no mês de janeiro, 7 em fevereiro e neste mês de junho foram 12, em atividade predominante em carvoaria.

No final da entrevista, o procurador esclarece que a legislação brasileira prevê os elementos que caracterizam o trabalhador à condição análoga à de escravo, são eles: alojamento inadequado, ausência de condições básicas de higiene, submissão a trabalhos forçados ou a jornadas exaustivas, a sujeição a condições degradantes de trabalho e a restrição de locomoção do trabalhador.

Confira a matéria completa AQUI

 

 

 

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • audin MPU
  • Portal de Direitos Coletivos