Por meio de tecnologia de ponta, região foi mapeada e 6 trabalhadores foram resgatados em condições análogas à escravidão, no Maranhão.

A operação que resultou no resgate de 6 trabalhadores em condições análogas à escravidão no Maranhão, no período de 16 a 27 de janeiro de 2024, foi destaque na mídia local. O procurador do trabalho Maurel Selares, que esteve no local e passou esses 11 dias atuando na verificação de existência de irregularidades trabalhistas, em carvoarias localizadas nos municípios de Grajaú e Sítio Novo no Maranhão, contou como foi a situação vivenciada por uma verdadeira força-tarefa, composta por integrantes do Ministério Público do Trabalho (MPT-MA), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Defensoria Pública da União (DPU), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF).

Imprimir

Trabalho escravo: primeira operação realizada em 2024 resgata 6 trabalhadores no município de Grajaú, no Maranhão.

Ação realizada conjuntamente, no período de 16 a 27 de janeiro de 2024, resultou no resgate de 6 trabalhadores em condições análogas à escravidão no Maranhão. Foi uma força-tarefa composta por integrantes do Ministério Público do Trabalho (MPT-MA), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Defensoria Pública da União (DPU), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF), que teve por objetivo a verificação de existência de irregularidades trabalhistas em carvoarias localizadas nos municípios de Grajaú e Sítio Novo no Maranhão.

Imprimir